top of page
  • Foto do escritorLucas Chiquetto

ANGELINA JOLIE. FANATISMO? NÃO, ADMIRAÇÃO!

Atualizado: 19 de jun. de 2020


Já que a ideia aqui é falar (ou escrever) das ideias e pensamentos que transbordam, por meio de paixões, não tem como não falar dela. Vencedora de Oscar, Embaixadora da ONU, mãe de 6 filhos, dona de uma beleza exuberante, e mesmo com os seus 45 anos bem-vividos recém-completados no último dia 4 de junho, ela é, sim, a minha musa, que faz os filmes que eu assisto (com ela) terem um gostinho todo especial. Fanatismo? Não! Admiração, pelo conjunto da obra.


Angelina Jolie é minha musa desde que a vi, na telona, na pele da minha também musa (no caso, virtual) Lara Croft, da série de games Tomb Raider, em 2001. De lá pra cá, cada assunto que sai sobre ela, eu aprecio, sem moderação (exceto fofocas, que me dão preguiça).


Já assisti a todos os filmes e making off dela. Já li todos os livros (biografia autorizadas e não autorizadas). Já vi praticamente todas as fotos que têm sobre ela na internet. Já fiz desenhos e pintei quadros com o seu rosto, e já viajei pra Londres, pra visitar um primo que morava lá, e pra ver se tinha a sorte de encontrá-la e pedir para ser adotado. Rs. Brincadeiras à parte, não fui à casa de Angelina, mas fui em um lugar que ela estava gravando.


Deitado na cama, zapeando a internet atento às notícias sobre Jolie, vi que ela estaria gravando Malévola (2014) numa cidade próxima a Londres, que, sim, era possível chegar até lá, não de transporte público. Então, em troca de uma pizza e muito poder de persuasão, meu primo aceitou me levar. Ele tinha uma moto. Então, no melhor estilo Debi & Loide, pouco equipados para enfrentar o frio do verão londrino, fomos a Buckinghamshire.


Saindo de Londres, foram mais ou menos uma hora e meia de moto para chegar à cidade, mais precisamente em Bulstrode Park. Me lembro do meu primo falar: “Lucas, olha o tamanho desse parque. Você acha mesmo que vamos encontrar um set de filmagens aí?”. Foi o tempo dele terminar de falar, e, de repente, surge, imponente à nossa esquerda, vários containers, o guindaste que elevou Jolie para fazer as gravações de voo do filme, os cavalos usados naquela cena inicial da primeira batalha entre os humanos e os seres da floresta que acompanham Malévola e, não podiam faltar, guardas. Para o filme? Não, para tomar conta do lugar mesmo! Então, depois de ter me enfiado entre as árvores e já ter tirado foto do chroma key (usados para os efeitos especiais do filme), sem os guardas verem, perguntei a eles: “Olá. Angelina está aí?”. Com uma resposta pouco amigável, um deles me respondeu: “Ela está gravando em estúdio hoje (sábado). Só grava aqui na segunda-feira. Mas sugiro você não vir aqui, porque enche de fotógrafos, e eles ficaram do outro lado da rodovia”.


Abaixo têm algumas fotos minhas, fotos da atriz no local da gravação (que não são minhas) e de cenas do filme onde ocorreram as gravações.


Infelizmente, eu não a vi. Mas, só o fato de ter estado no mesmo lugar que ela esteve, já estava de bom tamanho.


Não contente, em 2014, fiz uma viagem à Flórida, com dois amigos, e, não podia ficar de fora, fomos à Disney. Foram dias de muita diversão nos parques, principalmente porque, em vários lugares, já tinham cartazes do filme da Malévola. Além disso, iria ter, dois dias depois em que fui a um dos parques, uma exibição de um trecho do longa num cinema própria da vilã. Eu, claro, não sabia, e acabei não vendo. Mas, tudo bem. Ficou para os cinemais daqui mesmo.


O outro desencontro foi no ano passado (2019), quando me dei de presente de aniversário uma viagem à Colômbia. Uma semana depois que voltei de lá, mais especificamente de Cartagena das Índias, ela foi à cidade, por meio da ONU, para falar sobre a situação dos refugiados da Venezuela com o presidente da Colômbia. Ela estava lado do local que em eu fiquei. Meu coração quase saiu pela boca. Rs. Infelizmente, a agenda dela para os trabalhos da ONU não são divulgados justamente para não causar aglomeração.


Bom, voltando à parte normal de ser um fã, Jolie sempre me chamou a atenção pelos papéis fortes que sempre encarou nos cinemas (vale aqui ressaltar que não sou aquele fã chato que acha todo filme com ela maravilhoso, tá?! Ela já fez ótimos filmes, sim, mas, também, já fez filmes ruins), mas ela não é só isso. Entenda por que Angelina Jolie ganha meu coração todos os dias.


BELEZA FORA DO COMUM QUE SERVE DE INSPIRAÇÃO


Ela sempre chamou a atenção por ter uma beleza estonteante. Cada detalhe do seu rosto parece que foi perfeitamente esculpido para ser uma verdadeira deusa grega. Dos grandes e expressivos olhos à icônica boca carnuda, ela serve de inspiração para as mulheres e é desejada pelos homens.


Ela simplesmente deixa as pessoas de boca aberta por onde passa. Para mim, um dos filmes que consegue exaltar sua beleza é em Alexandre, que conta a história da vida de Alexandre, o Grande. Apesar de achar o filme ruim, vê-la na tela é de babar. Me lembro que a primeira vez que assisti ao filme, nos cinemas, não conseguia desgrudar os olhos da telona, a ponto de não conseguir ler as legendas. Rs.


Não é novidade para os mais próximos, mas Angelina Jolie sempre serviu de inspiração para meus desenhos e pinturas. Já fiz inúmeros deles, seja em tinta óleo, lápis de cor, pintura digital etc.


MULHER EXEMPLAR



Como uma boa geminiana, ela nunca está parada esperando um filme para atuar cair do céu (sim, com ela pode até acontecer. Rs). Jolie é também muito conhecida por seu trabalho humanitário, principalmente em questões de abuso sexual, violência contra a mulher e defesa de refugiados. Ela foi homenageada na ONU, na UNA-USA e na própria Academia de cinema, onde ganhou o prêmio Jean Hersholt, dado por contribuições a causas humanitárias.


Inclusive, semana passada, Jolie fez uma videoconferência com Chantale Zuzi, uma das garotas que ela conheceu por meio do RefuSHE (uma organização não governamental pioneira que procura preencher uma lacuna crucial no atendimento aos refugiados mais vulneráveis da África Oriental: meninas e mulheres jovens, entre 13 e 23 anos, que fugiram da guerra, da perseguição e da violência sexual em seus países de origem e que precisam de um sistema de apoio). Ela nasceu na República Democrática do Congo, onde enfrentou perseguição por ser albina e perdeu tragicamente seus pais antes de se tornar adolescente. Foi reassentada em Massachusetts, no ano de 2018, através do Programa para Refugiados Menores Não Acompanhados (Unaccompanied Refugee Minors Program).


No vídeo é possível ver uma mulher normal, humana, com cachorros ao fundo, problemas de travamento da internet e filhos correndo pela casa.


ÓTIMA ATRIZ



Dos vários bons filmes que ela fez, vale aqui ressaltar ‘Garota, Interrompida’, o qual Jolie ganhou o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante, e ‘A Troca”, filme dirigido por Clint Estwood, o qual ela foi indicada à estatueta de Melhor Atriz.


Mas sempre ficarão no meu coração personagens como Lara Croft e Malévola.




ELA PROTAGONIZA O FILME DA MINHA MUSA VIRTUAL


Como já citei lá mais acima, Jolie realmente ganhou, pela primeira vez, meu coração depois de protagonizar dois filmes com a minha também musa Lara Croft, dos jogos da série Tomb Raider. Inclusive, não sei se todos sabem, mas, de fato, foi o filme que mudou para sempre sua vida. Foi gravando Tomb Raider, no Camboja, que a atriz conheceu seu primeiro filho adotivo, Maddox, e, anos depois, fundou uma instituição chamada ‘Maddox Jolie-Pitt Fundation’ (https://mjp-foundation.org/), que tem como objetivo dar suporte à comunidade local.


No primeiro filme, Angelina Jolie atuou com o pai na vida real e também ator, John Voight!


GEMINIANA FUÇADA


Ela não se limitou a ser meramente uma atriz, jolie também se aventurou como diretora, produtora e escritora. Confesso que, como fã, gosto mais dela atuando na frente das câmeras, porque, quando estava atrás, bateu uma saudade. Rs. Mas, reconheço, ela me surpreendeu muito, positivamente, dirigindo “Unbroken” (Invencível). O filme, que é baseado numa história real, foi muito bem avaliado pela crítica, recebendo, inclusive boas indicações a prêmios importantes, como o Oscar, por exemplo, onde teve três indicações técnicas e uma indicação como melhor diretor no Critics' Choice Movie Award. Levou os prêmios de “Dez Melhores Filmes do Ano”, do Instituto Americano do Cinema e do National Board of Review, além de vários prêmios para o ator Jack O’Connell, que representou o protagonista, Louis Zamperini.


Além disso, Jolie também dirigiu ‘Na Terra de Sangue e Mel’, ‘First They Killed my Father’, da Netflix e ‘À Beira Mar”, onde, além de atuar ao lado do ex-marido Brad Pitt, ela escreveu, dirigiu e produziu o filme.


EXEMPLO DE FORÇA E RESILIÊNCIA


Depois de perder a mãe, Marcheline Bertrand, - além de uma tia e avó - para o câncer, Angelina resolveu fazer uma cirurgia de mastectomia bilateral e também a retirada dos ovários e as trompas de falópio para reduzir ao máximo as chances da atriz também desenvolver um câncer, que era de até 87%.


Em uma carta escrita ao The New York Times, ela escreveu: "Eu não me sinto menos mulher. Eu fiz uma escolha forte que em nada diminui minha feminilidade."


Ela serviu e serve de exemplo para muitas mulheres ao redor do mundo.



CIDADÃO DO MUNDO E MÃE EXEMPLAR


Angelina não se restringiu aos Estados Unidos para construir sua vida e falar sobre ela. Jolie mora no mundo, principalmente por conta do seu papel na ONU, que a permite conhecer lugares alguns onde ninguém jamais visitaria em férias, como o Afeganistão ou em lugares muito pobres da África, por exemplo.


Dando um novo sentido à sua vida, ela é mãe de seis filhos, com o também ator e ex-marido Brad Pitt, sendo três adotivos e três biológicos, cada um deles nasceu em um lugar diferente do mundo.


Maddox nasceu no Camboja e foi adotado quando ele tinha 1 ano.


O segundo é Pax Thien. Ele nasceu no Vietnã, em novembro de 2003. Mas, ele só foi adotado pela atriz aos 4 anos, depois de ser abandonado pela mãe biológica, em um hospital vietnamita.


A terceira e última filha adotiva de Angelina Jolie foi Zahara Marley. Ela nasceu na Etiópia, e foi adotada pelo casal Jolie-Pitt quando tinha somente seis meses de vida.


Shiloh Nouvel foi a primeira filha biológica do casal Jolie-Pitt, e, inclusive, nasceu no dia do meu aniversário, 27 de maio, na Namíbia - África. Hoje, ela tem 14 anos.


Já, Vivienne e seu irmão gêmeo, Knox Léon, são os últimos filhos de Angelina Jolie com Brad Pitt. Eles nasceram em Nice, na França, em 12 de julho de 2008. Hoje em dia, têm quase 12 anos de idade.


Angelina é, para mim, uma das pessoas que mais consegue lidar com a diversidade no mundo. Inclusive, ela vive isso na família que construiu. Jolie têm três filhos biológicos e brancos, sendo uma trans; e três adotivos, uma negra linda e dois asiáticos.


Ressignificar a si mesma, saindo de uma pessoa polêmica e um pouco vazia para uma mulher repleta de atributos, feitos e realizações, faz Angelina Jolie ser fonte de inspiração para mim e também para boa parte das pessoas do mundo. Aliás, nosso planeta seria bem melhor se pudéssemos ter uma pessoa como ela, de uma magnitude imensurável, lutando para dar visibilidade e voz a pessoas que são invisíveis e que sofrem todos os dias, sem, ao menos, termos conhecimento.


Atrás da atriz talentosa, existe um ser humano incrível e iluminado.


Comments


bottom of page